sexta-feira, 8 de agosto de 2014

Três tempos e um voo






Era dentro de mim mesmo que morava a arrogância da inocência que só alguns justos, ainda mal moldados, possuíam. O outro, os outros eram apenas reflexos do mundo que víamos, como víamos, quando enxergávamos.





Foi dentro de mim mesmo, como um molusco marítimo que se aproveita temporariamente das conchas para se proteger, que me livrei da minha morte anunciada e devidamente abortada.





Será sempre dentro de mim que vou buscar a força necessária para superar a cada dia o que basta o seu mal. O trabalho será muito mais digno e gratificante do que apenas juntar em contas e cofres a matéria apenas.

segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Cegas


Os amores que vivem jogos
São fadados a paixões sem fim.
O fogo que sobe por dentro
Pode ser frio, pode ser mal, enfim.

Mas a sinceridade e o carinho
Fazem um entendimento melhor.
No calor das paixões ensandecidas
Prova-se do melhor e do pior.

Não serias tolo de abandonar amor
Quando teu peito arde em chamas
E tu clamas pela mulher que negas

Vais atrás de tudo que não te satisfaz
Te enganas, gargalhas e badernas
Dando visão a tudo o que te cega.




(Cristiano Jerônimo – 27.01.2014)

CÉU DE ANIL

Bem que sou mesmo palhaço Mas não faço graça para qualquer um. Ao ponto de qualquer estilhaço, Corro com todos; corro só um... ...