sexta-feira, 28 de outubro de 2016

Timão e Pumba

Hakuna Matata
entrou na Caverna
do Dragão.
Encontou
com Mickey Mouse
Pagando de gatão...
E viu Hebert
Richards;
Pediu
Uma tradução.

Felícia
Ama os bichos.
Só não sabe demonstrar
Como o amigo Lipe
Faz de tudo
Para Hardy se alegrar.
Uma hiena ao contrário.

Tom com a cara de otário.
E Zé Buscapé levando grito,
O Xodó da Vovó tão esquisito...
E Penélope Charmosa.

Chega! Chega!
Chega de ser bonzinho.
E lá foi o Dick Vigarista
Com seu cachorro rabugento:
Capitão Guapo e Branquinho
Com duas personalidades.
É como a vida,
A corrida é maluca.

Muitos seres
Não desistem
De capturar,
Sem motivos,
O safo e veloz
Pombo Gugol.
Enquanto Mutley
Voa e quer
Mais medalhas.




(Cristiano Jerônimo - 28.10.2016)

quinta-feira, 27 de outubro de 2016

Que miséria...

O ácido invisível dos dias,
A magnésia dos tempos;
A busca pelo tempo perdido
É inútil e também inócua.

Os galopes percorridos
E as ferraduras apagadas
Não nos levam a nada.
Diferente do caminho.
                               Da estrada.

A desidratação da vida.
Essa estranha paciência;
Um modular entre o ser feliz
E a verdade de que não está bom.

Os colapsos são nervosos
E de paralisação de obras.
São sempre para cumprir a Lei.
A Lei de Murphy.

Podre sertanejo. Pobre citadino.
Ser humano atordoado em desatino.
Os meninos correndo secos pelas ruas.
Do outro lado, duas “noiadas” tão nuas.

Que miséria!





(Cristiano Jerônimo)

O Morro Sagrado

Recife é azul quando vem Nossa Senhora, A procissão toda coberta com seu manto azul. A coisa mais linda do mundo; Ceça Nossa Senhor...