terça-feira, 10 de junho de 2008

Mistérios e Segredos


Eu sempre queria mudar o mundo lá fora,
Mas, ao mesmo tempo, sentia vontade de ir embora.
Sem olhar para trás, sem medo de voltar...
Com a vontade de falar e transformar.

O cataclisma exposto em minha alma,
Na mais nobre tarde trazia a calma.
Era tu, serpente, a beleza deste deserto;
Dos caminhos fechados, dos rios abertos.

Veredas serenas, estrelas, vidas verão.
Nem tudo tão cheio nem seco, o sertão.
Durante um período, contemplei o paraíso
Sem poupar nem choros nem sorrisos.

E assim, toda semana era a mesma...
Quebrava em pausa os sons das lareiras.
Pelos frios do seu tempo e do medo,

Descobri tantos mistérios e segredos.

Um comentário:

Limite dos sábios

Bem ao meu lado Eu não sentia você Que agora está com o rosto colado Para assistirmos tevê. Tomarmos um banho, um café... n...