quarta-feira, 7 de agosto de 2013

A união

Quando juntos podemos tudo. Sozinhos, ficamos mudos. Alguém fará quantas coisas, se não for por si mesmo? Quando unidos somos exércitos. Solitários, nos acovardamos de dar um passo. Mas ninguém moverá uma palha, sequer, ante o que não agirmos. Quando soltos, amaldiçoamos a solidão que escolhemos para ilustrar nosso destino. Quando a sós, sentimos falta e vazio, buracos profundos, impedindo a comunhão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

PISA DE CIPÓ DE CANSANÇÃO

( No espinhaço dos ladrões desta Nação ) Na esquina, um pipoco... Eco do topo da pirâmide, Das árvores mal plantadas Para fru...