quinta-feira, 25 de agosto de 2016

recife de rua

vagueia um menino qualquer
qualquer rua...
matura qualquer menino
vidrado na lua...

sobre a cidade
de água indecisa,
sob a verdade
crua e concisa
repousam as asas
da contradição:
do que é da terra de Deus
e do que é de um mundo de cão.

Um rebanho de bichos do mato
            ...meninos...
...cidade...mata...

...MENINOS...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Um cangaço de afeto

Sede na subida da serra, Água de cabaça pra beber. E a capemba do caldeirão Vem do pé de coco catolé. Esses brejos de altitud...