quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Tão separados

Você se escondeu
Do outro lado, e,
Os nossos pecados
Partiram também.

Quando era hora
Do café quentinho,
Eu já sabia a história
E o melhor jeitinho...

Ficava só a imaginar
O fogão de lenha
estralando,
Nossos abraços
Avançando
Para outra
Dimensão.

Somos felizes
Porque gozamos
A vida adoidados
E não há nenhum pecado
Neste sonho único
De viver tão separados.

(Cristiano Jerônimo - 22.02.2017)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os mouros do sertão

Eu sou do solo do pé rachado. Onde hidratante não dá jeito. Sou pé trincado do próprio solo; Do colo da flor que brota no leito. ...