quinta-feira, 15 de setembro de 2016

A pedra que jaz!



Bom dia!
Tem mais outro dia.
Tem o infinito também.

Bom dia!
Tem o mal espumando.
Há o que salve também.

Olá!
Eu queria mesmo te encontrar.
Só pra bater papo e conversar.

Quiçá!
Chegue o dia de andar na praia.
Sem ninguém correr da raia.

Até mais!
Eu só queria muita, muita paz; mas,
No calabouço, a pedra agora dorme e jaz.



(Cristiano Jerônimo - 15.09.2016)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quevedo (A hora...)

Eu não posso dar conta da realidade, Se toda vez que percorro essa cidade, Desponta luz toda sorte de iniquidades; Porque se diz ...