terça-feira, 4 de outubro de 2016

Café forte

Eu nunca sei dizer por que é
Quando quero tomar outro café
E, com você, fumar cigarros
Da vida e do universo tragos
Trago no peito o café cru,
Depois bem torrado,
Pronto para ir ao moinho,
Para, então, virar pó
O ralado do café
Água borbulhante
Coador
E o trago forte
Do sertanejo.




(Cristiano Jerônimo)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todas as tochas da paz

Vamos Que a cadeia Não é lugar Pra gente não!... Mas tem uns homens Que roubam a gente E vivem contentes Com seus poder...