sexta-feira, 12 de agosto de 2016

Em teus braços

Misterioso início
Magnífica descoberta
Olhar para o princípio
E ver a porta aberta...

Caminhar juntos
Livremente,
Entre matas e montanhas,
Água. Até na seca. Água.

Líquido puro da vida,
Como o sol, e de limpeza
Para todas as quizilas
Que o mundo impõe.

Quanto mais limpos
Mais serenos e sábios.
E no frio ou calor da noite
Me entrego em teus braços.


(Cristiano Jerônimo)


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Um cangaço de afeto

Sede na subida da serra, Água de cabaça pra beber. E a capemba do caldeirão Vem do pé de coco catolé. Esses brejos de altitud...